terça-feira, 25 de setembro de 2007

Amizade



Hoje, já sabemos muitas coisas sobre a amizade.Há de se entender que a amizade não é algo que somente nos traz alegrias e esse é o maior desafio dela.Há de se saber que as regras principais da amizade são o respeito, a consideração, a tolerância e a humildade.O respeito é primordial. Pessoas têm seus limites e esses limites devem ser sempre respeitados.O fato de termos amizade e intimidade com alguém, não nos dá o direito de violar certas regras. A tolerância, talvez, seja a parte principal.Há de se entender que nenhum ser humano vive em total estado de bom humor a vida toda. Haverá dias em que os ânimos não estarão bons. Isso, sem contar que as pessoas, em geral, têm os mais diversos tipos de temperamentos e de atitudes. Há de se saber que, para se ter um amigo, alguns momentos desagradáveis dele teremos que suportar, passar por cima mesmo, ignorar, sabendo inclusive que ele, em algum instante, fará o mesmo por nós. Há de se saber, aceitar e entender que a perfeição, em termos de ser humano não existe. Cometemos todos, diversas vezes, falhas, enormes falhas. Amigos que não convivem com isso dificilmente conseguirão levar uma amizade avante.Ser amigo é, todos os dias, aprender alguma coisa nova, é ter sempre algo de que se arrepender por alguma coisa que se deixou de fazer.Ser amigo é, principalmente, dividir uma emoção, saber acalentar um coração e deixá-lo voar para longe de nós quando ele precisar.Mas ser amigo é, especialmente, se recolher num cantinho e esperar esse coração voltar pra nossa mão no momento que ele achar que é bom.

Quatro Velas



Quatro velas estavam queimando calmamente.A primeira disse: "Eu sou a Paz e, apesar da minha luz, as pessoas não conseguem manter-me acesa."Em seguida, a sua chama, devagarinho, se apagou totalmente.A segunda disse: "Eu me chamo Fé! Infelizmente, sou supérflua para as pessoas. Elas não querem saber de Deus... Por isso, não faz sentido continuar queimando."Ao terminar sua fala, um vento bateu levemente sobre ela e a chama se apagou.Baixinho e triste, a terceira vela se manifestou: "Eu sou o Amor! Não tenho mais forças para queimar. As pessoas me deixam de lado, porque só conseguem enxergar elas mesmas... Elas esquecem até daqueles que estão à sua volta."E também se apagou.
De repente, chegou uma criança e viu as três velas apagadas. "O que é isso? Vocês devem ficar acesas e queimar até o fim."Então, a quarta vela falou: "Não temas, criança! Enquanto eu estiver acesa, sempre poderemos acender as outras três."A criança pegou, então, a vela da Esperança e acendeu novamente as que estavam apagadas.

Areia


Num dia de verão, estava na praia, observando duas crianças brincando na areia... Elas trabalhavam muito, construindo um castelo de areia, com torres paralelas e passagens internas, num capricho e com uma alegria que só encontramos nas crianças.Quando estavam quase acabando, veio uma onda e destruiu tudo, reduzindo o castelo a um monte de areia e espuma... Achei que, depois de tanto esforço e cuidado, as crianças cairiam no choro, que ficariam muito tristes, desconsoladas mesmo... Mas tive uma surpresa: em vez de chorar, correram pela praia, fugindo da água, rindo de mãos dadas, e começaram a construir outro castelo, completamente diferente e tão bonito quanto o outro. Compreendi então, que havia aprendido uma lição:
Nós gastamos muito tempo da nossa vida construindo algumas coisas e, mais cedo ou mais tarde, uma onda ou uma virada da vida poderá vir e destruir tudo o que levamos muito tempo para construir. Quando isso acontece, somente aquele que tem as mãos de alguém para segurar será capaz de sorrir, seguir em frente, e começar a construir algo novo! Portanto, não se prenda às coisas, pois só o que permanece é a amizade, o amor e o carinho. O resto é feito de areia!

Transparente


Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros.Mas ser transparente é muito mais que isso:é ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar sobre o que a gente sente... Ser transparente é permitir que toda a nossa doçura aflore, transborde! Mas, infelizmente, quase sempre, a maioria de nós decide não correr esse risco. Preferimos o nó na garganta que as lágrimas que brotam do nosso coração.
E, assim, vamos nos afogando mais e mais em falsas palavras, em falsas atitudes, em falsos sentimentos.
Não porque sejamos pessoas mentirosas, mas apenas porque nos perdemos de nós mesmos, e já não sabemos onde está nossa brandura, nosso amor mais intenso.
Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos para compartilhar:, doçura,compaixão... A compreensão de que todos nós sofremos, nos sentimos sós, imensamente tristes, e choramos baixinho antes de dormir, num silêncio que nos mostra a saudade que temos de nós mesmos, daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar àqueles que mais amamos!
Porque, infelizmente, aprendemos que é melhor revidar, descontar, agredir, acusar, criticar e julgar do que simplesmente dizer: "Você está me machucando... pode parar, por favor?"Potanto, liberte-se... Não prenda o choro, não contenha a gargalhada, não esconda seu medo, não deseje parecer tão invencível... Seja transparente, apesar de todo o risco que isso possa significar.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007